“Desirada”

June 12, 2011

O segundo livro da escritora caribenha Maryse Condé que leio. Adorei. Se Condé tem uma qualidade como escritora é a de escrever sempre de forma aberta. O leitor é sempre bem-vindo à história, que vai se desenrolando de forma natural. Aqui Marie-Noëlle, que sempre quis saber quem era o seu pai, resolve voltar à sua ilha natal de Guadalupe e descobrir. A história se desenvolve em três continentes, o que pessoalmente não gosto. O outro livro que li de Condé, Färden genom mangroven, foi melhor porque é concentrado em um lugar só (eu prefiro assim). Mas, mesmo assim gostei muito dessa história de três gerações de mulheres. Bacana.

Lido em sueco

Advertisements

“Yarden”

June 4, 2011

O autor sueco Kristian Lundberg escreve um livrão, que cabe em algumas poucas (cerca de 100) páginas. Ele descreve um período de sua vida em que, apesar de escritor/jornalista, não tinha dinheiro/trabalho e foi trabalhar nas docas da cidade de Malmö, extremo sul sueco, perto da Dinamarca (Malmö já foi, há muitos séculos, dinamarquesa) pra poder sobreviver. O livro é mágico, não pela história em si, mas pela capacidade de Lundberg de falar de assuntos tão difíceis com a dose perfeita de angústia. O que é “dose perfeita de angústia”, você pode se perguntar? Pra mim é a capacidade de deixar a sua angústia aparecer no texto sem que ele fique pesado demais, taciturno demais, hermético demais. Adorei!

Lido em sueco.

“De imperfekta”

June 2, 2011

Difícil escrever sobre um livro que gostei tanto! Em suma, sem angústia: Tom Rachman escreve sobre a redação de um jornal internacional escrito em inglês baseado em Roma, Itália. A cada capítulo ele desenvolve um personagem e conta a história do jornal escrito em inglês. Todos os personagens são ótimos – por serem péssimas pessoas. Adorei! Me fez lembrar das figuras da minha outra vida, passada numa redação de jornal e em várias redações de revistas. Uma redação é mesmo um mundo em si que conta a história do que acontece no mundo lá fora. Peguei emprestado na biblioteca, mas devia ter comprado.

Lido em sueco.