“Jane Eyre”

February 28, 2012

Li o clássico de Charlotte Brontë quando estava doente, em casa, de molho. Adorei. Mesmo com todos os dogmas normais naquela época de uma Inglaterra tradicionalíssima: religião como “a” resposta da vida correta, a vida feminina com um modelo de ascetismo e estoicismo, aquela coisa enlouquecidamente certinha, que me deixa completamente irritada e… fascinada. O livro conta a história de Jane, de sua infância terrível e sua juventude também meio complicada. Mas, caro leitor, ouso dizer, que tudo acaba bem, porque Jane é uma daquelas mocinhas que faz tudo certo, compreende? Muito irritante, mas também fascinante. Leia!

Lido em sueco.

“Drottningen vänder blad”

February 17, 2012

Não gostei desse livro do britânico Alan Bennett. O título no original é “The Uncommon Reader” e faz referência à protagonista, nada mais nada menos do que a rainha da Inglaterra. Bennett escreve uma sátira rapidinha, 124 páginas na edição sueca, sobre como Elizabeth II descobre o prazer de ler. É bacaninha porque ele inclui vários títulos interessantes no texto, mas a “intriga” em si é fraquinha, fraquinha. Um daqueles livrinhos de aeroporto, sabe? Se bem que é pequeno demais. Só dá se for vôo curto (ou se você não tiver filho pequeno). Dou uns coraçãozinhos porque me divertiu um pouco.

Lido em sueco.