Li Charles Bukowski há muito tempo, quando ainda era uma adolescente, e me lembro que sempre adorei a capacidade dele de misturar literatura de ótima qualidade, com uma vida marginal, sem luxos, sempre falando sobre os exluídos – sendo ele mesmo um deles – mas nunca com auto-piedade. Além desse livro em que ele conta suas experiências como carteiro, li ainda “Crônica de um amor louco” e “Notas de um velho safado”.

Lidos em português.

Advertisements