O livro de Linda Olsson é passável. Não é ilegível, mas também não dá muito prazer de ler (também, coitada, ela veio depois da pungência da Doris Lessing. Não teve a menor chance). A história é de uma moça que aluga uma casa no meio da floresta em algum lugar da Suécia pra escrever um livro. Ela faz amizade com a vizinha, uma senhora esquisitona. Ambas começam então a contar suas vidas uma pra outra. Pode ser interessante pro mundo fora da Suécia, que talvez aprecie as descrições dos ambientes nativos, mas aqui, in loco, o livro é bem fraquinho. Bege, sem cor. Sem sal. Cabe dizer que Linda Olsson é sueca mas mora na Nova Zelândia e escreveu o livro em inglês.

Lido em sueco.

Advertisements

Livraço. Obra-prima. Adorei. Esse foi o primeiro livro escrito por Doris Lessing, em 1950. Em linhas gerais: numa fazenda na antiga colônia britânica da Rodésia do Sul (atual Zimbabué) encontra-se Dick, um fazendeiro branco falido, Mary, a esposa frustrada e infeliz, e Moses, o empregado negro. Mas a história é muito mais do que isso. É racismo, é intolerância, é preconceito, é ignorância, é dominação, é infelicidade quando uma pessoa se vê obrigada a abandonar suas convicções por pressão social. Desde o início sabe-se que tudo vai acabar muito mal, mas mesmo assim é fascinante. Espetacular mesmo. Recomendo.

Lido em inglês.

Os livros de Joanna Rubin Dranger são pequenos romances cuja história é contada por meio de quadrinhos. A protagonista é chamada no primeiro livro de Fröken Livrädd (Dona Apavorada) e, no segundo, de Fröken Markvärdig (Dona Importante) . No primeiro livro Dona Apavorada acha Mr. Right, casa, se apaixona por um outro, se separa e se esborracha com as mentiras do parceiro novo.

No segundo livro Dona Importante é uma profissional reconhecida em busca “da idéia brilhante”, “do conceito inédito”, “do toque de gênio”, da “Criação”. Em ambos os livros a história é a das mulheres modernas, de suas vontades e medos mais secretos. Tudo é, na verdade, muito engraçado. Me identifiquei tanto que acabei sentindo ternura por mim mesma.

Lido em sueco.