“Anna Karenina”

July 15, 2008

Segunda vez que li o clássico de Leon Tolstoi. O livro que comprei num baratilho na minha livraria virtual favorita tem mais de 800 páginas. Comecei a ler e reparei que estava lendo um livro novo, cuja história era muito mais do que a que eu conhecia (o lance da Anna Karenina com o Conde Vronski e com o trem). O livro é um retrato da sociedade russa de então, da divisão de classes, da visão de uma classe pela outra. E o personagem mais interessante é, sem dúvida, Karenin, o marido traído. Gosto da Anna, acho ela bacana e ousada, mas o Karenin é muitíssimo mais interessante, conflituoso, real. Recomendo pra quem não tem medo de tijolões e gosta de narrações de época.

Lido em inglês.

Advertisements

Li três livros de Dostoiévski, todos emprestados pelo meu pai, que tem coleção de luxo. Aliás, comecei quando comprei o primeiro volume de uma edição dupla portuguesa de “Crime e Castigo”. Completei a leitura, depois, com os livros do papai. Aí, continuei com “O Idiota” e, claro, “Os Irmãos Karamazov”. Acho Dostoiévski fantástico. Você entra tanto na narrativa que, quando o livro acaba, você continua meio que imerso na história. Quando havia terminado de ler “Crime e Castigo”, precisei de um ou dois dias sem ler nada pra poder sair da história de Raskolnikov.

Lidos em português.