“A chave da casa”

September 29, 2011

Livro de Tatiana Salem Levy. Duas pessoas muito queridas me deram esse livro de presente, porque acharam que eu ia gostar. E acertaram. Ela conta a história de uma moça que volta à Turquia, em busca das raízes de sua família brasileira. Interessante, com textos curtos, alternados sobre três gerações da família. Achei a linguagem conhecida, de alguma forma. Mas, mesmo tendo gostado do livro, achei que à história falta unidade, falta peso. Os textos são ligeiros demais pro meu gosto. Queria que ela tivesse desenvolvido mais os personagens, tal e qual Jonathan Franzen faz. Mas, ao mesmo tempo, compreendo que a idéia aqui é mais poética do que de prosa.

Lido em português.

“Tillrättalägganden”

September 28, 2011

Primeiro livro de Jonathan Franzen que leio. O título em inglês é “The Corrections”. Adorei. Adorei. Achei meio com cheiro de John Updike (a história do Coelho), mas tenho a impressão que Franzen é mais engraçado do que Updike, que seria mais ácido. Conta a história da família Lambert, Alfred e Enid e os filhos Gary, Chip e Denise. Todos em estados distintos de (in)felicidade. Impressionante como Franzen costura a história perfeitamente, depois de dar espaço a todos os personagens. No final, fiquei com a impressão de que a vida é realmente difícil. As pessoas são difíceis. Você é difícil. Mas o que é o mais difícil de tudo é achar felicidade na sua própria vida, no que é positivo – e negativo. Isso é muito difícil nas tem que ser tentado. É a única forma de ser feliz. Isso porque achar felicidade de qualquer outra forma é simplesmente impossível.

Lido em sueco.