"Studio Sex"

May 25, 2002

Mais Liza Marklund. Uma jovem é morta, o suspeito é um ministro. Annika Bengtzon é estagiária no jornal Kvällspressen (lembrem-se que a Liza Marklund vai pra frente pra trás com suas histórias) e vê nesse crime a oportunidade de conseguir ser contratada de verdade. Esse livro deveria ser uma história independente dos outros livros com Annika Bengtzon como protagonista. Mas eu acho que é mais um na fila. É legal também, apesar de eu, hoje em dia, não agüentar muito mais ler sobre a Annika Bengtzon. Acho que foi overdose.

Lido em sueco.

Advertisements

"Sprängaren"

May 16, 2002

Esse aqui foi o primeiro livro da Liza Marklund que eu li. Peguei emprestado na escola, onde aprendia sueco. Achei que não conseguiria entender nada, mas, eis que simplesmente entendi tudo! Ou quase tudo. Mas gostei tanto que li quase todas as histórias sobre a repórter Annika Bengtzon. A coitada está sempre suando e cheirando mal, se acabando de trabalhar prum jornal como estagiária ou, mesmo promovida, ralando no turno da madrugada. A história desse aqui é que as Olimpíadas iriam ser em Estocolmo, mas, dias antes, uma bomba explode no estádio mais importante da cidade. Lá vai a Annika se meter em complicações. Bacana. Esse aqui ganha um coraçãozinho extra por ter sido um dos primeiros livros em sueco que li, gostei e, principalmente, entendi tudo.

Lido em sueco.

"A Painted House"

May 9, 2002

Um dos melhores John Grisham’s que eu já li. O protagonista é o pequeno Luke e suas aventuras começam em 1952, quando a família dele aluga uma fazenda de algodão em Arkansas. Uma série de acontecimentos interessantes, pessoas diferentes, medo, coragem, desafios e amor acontecem ao redor de Luke. Realmente adorei esse livro. Vale muito a pena.

Lido em inglês.

Um dos livrinhos mais bonitinhos que já li desde que me mudei. Conta uma história de amor improvável, entre um fazendeiro e uma bibliotecária. A autora, Katarina Mazetti, ficou rica com a venda dos direitos do livro pro cinema. O filme é liiiiiiindo e tem o final feliz que falta no livro. Me lembrei que comprei esse livro na primeira viagem que fiz sozinha a Estocolmo. Mas achei que estava enganada porque em maio de 2002 eu ainda tinha um sueco bem rústico. Mas foi isso mesmo. Comprei o livro e o li em algumas horas no trem de volta pra casa. Muuuito lindinho. Só não ganha cinco corações porque não gosto do final. :c)

Lido em sueco.