“Martha”

August 29, 2008

O primeiro da série de cinco volumes em que Doris Lessing (DL) conta a história de Martha Quest. A-D-O-R-E-I. Acho que DL me conheceu quando eu era adolescente pra escrever esse livro (o fato dela o ter escrito em 1952, quando meus pais ainda estavam na escola e eu ainda não era sequer uma possibilidade, é apenas um detalhe.) Nesse primeiro livro Martha sai de casa e começa a trabalhar na cidade. Tudo é interessante, principalmente as elucubrações dela sobre suas escolhas, seus preconceitos, família, amigos, namorados, sexo e até comida. Agora partamos para o segundo volume (depois de Alva Myrdal).

Lido em sueco.

O livro de Roslund & Hellström é um romance criminal. Tem Death Row no coração da América profunda que deseja “olho por olho, dente por dente”. Tem Suécia e seus comissários de polícia excêntricos, tem uma crítica – levíssima, levíssima – ao fato da Suécia se dobrar à vontade dos EUA e entregar presos à tortura ou morte (como fizeram com dois homens egípcios – um deles até recebeu uma indenização milionária do governo sueco por conta disso). O livro é interessante, tem bom ritmo, mas só. Talvez o tenha achado mediano porque eu não sou apaixonada por romances criminais. Mas quem gosta com certeza gostará desse aqui.

Lido em sueco.

“Parfymen”

August 7, 2008

Queria ler esse livro escrito por Patrick Süskind há um tempão. Primeiro porque sou uma criatura sensível a cheiros (tantos aos bons quanto aos ruins) e segundo porque ouvi falar que o livro era bom. Finalmente, depois de esperar assim uns 15 anos, comprei, li… e não gostei. A história começa bem, com a descrição de um mundo fedorento no século XVIII, com Grenouille, o protagonista, nascendo numa peixaria, com os processos de se fazer perfume. Mas, depois, a coisa descamba. Totalmente.

Lido em sueco.