É um dos livros mais feministas que já li, exatamente porque fala sobre o espaco extremamente estreito dado ao comportamento feminino dentro do que é normal e do que é anormal. O título do livro é “A diva ferida: sobre a estética da psique” e Karin Johanisson escreve sobre três mulheres, as suecas Agnes von Krusenstjerna, escritora, e Sigrid Hjortén, artista, e a alemã-sueca Nelly Sachs, escritora e ganhadora do Nobel de literatura em 1966. A partir das três ela discute os diagnósticos que elas receberam dos médicos da época, histeria (Agnes), esquizofrenia (Sigrid) e paranóia (Nelly). Interessantérrimo porque duas delas (Agnes e Sigrid) se rebelaram contra os costumes da época (século XX), casamento, o que se espera das mulheres em termos de comportamento e aceitância em relacão à sociedade em geral. Muito bom, mesmo que tenha achado o livro um pouco repetitivo, principalmente na parte dedicada à Agnes von Krusenstjerna.

Lido em sueco.

Ouvi falar desse livro da cientista alemã Giulia Enders (novinha, nascida em 1990) e fiquei interessada. A traducão do título é “O charme dos intestinos”. Ela escreve sobre o órgão mais esquecido do corpo humano – apesar de ser importantíssimo: os intestinos. Ela comeca o livro contando que há uma ligacão direta entre o cérebro e os intestinos, com o coracão no meio. Ficamos sabendo sobre as bactérias (as boas e as más) os vírus, como devemos fazer cocô de forma mais efetiva (com os pés num banquinho baixo, com a coluna curvada e os joelhos próximos do peito) e o que devemos comer para garantir a saúde dos intestinos e a felicidade geral da nacão. Muito legal. Adorei. (Gostei muito que a autora dedicou o livro à mãe dela, que educou a ela e à irmã por conta própria).

Lido em sueco.

Esse livro, cujo título no original é ”The Examined Life”, do psicanalista Stephen Grosz, é muito interessante. Ele conta a história de alguns de seus pacientes, de como ele os tratou e o que aconteceu depois com as pessoas. Achei interessante como ele examina as neuroses de todos nós de forma rápida e direta: Fica fácil entender a lógica da terapia. Nem preciso dizer que me identifiquei com vários pacientes, haha. Gostei.

Lido em sueco.

”Vi kom över havet”

November 29, 2015

Julie Otsuka escreve a história de uma generacão de japonesas, todas esposas “importadas” por imigrantes japoneses nos Estados Unidos. O interessante é como Otsuka conta a história: são várias as vozes. Não há um protagonist; as mulheres todas fazem parte de um coro de vozes que se entitula “nós”. O efeito é muito forte, multifacetado, rico e impressionante. Título Original: “The Buddha in the Attic”. Vale a pena. Gostei.

Lido em sueco.

”Vi från Jedwabne”

October 11, 2015

A jornalista polonesa Anna Bikont escreveu um livro brutal. A história central é, como tantos outros livros, sobre a Segunda Guerra Mundial e de como grupos se acharam no direito de odiar abertamente outros grupos. Nesse caso, os poloneses antisemitas que assassinaram toda a populacão judia de várias cidades do interior do país. Bikont visita essas cidades pequenas e tenta entrevistar quem era vivo na época. Às vezes ela consegue conversar com alguém, às vezes não. Ela conta a história de um ódio de generacões, influenciado pela política da época (o que é pior, a invasão soviética ou alemã?) e pelas picuinhas entre vizinhos. Uma história contundente sobre a Europa de ontem – e de hoje, infelizmente. Muito bom. Recomendo muitíssimo.

Lido em sueco.

“Kunskapens frukt”

August 19, 2015

Queria ler algo da escritora sueca Liv Strömquist há muito tempo. Aí me dei de presente esse livro dela, cujo título numa traducão livre é mais ou menos “O fruto do conhecimento”. Liv Strömquist escreve histórias em quadrinhos para adultos (não eróticas, veja bem, apenas com tema adulto). Nesse aqui ela escreve sobre o órgão sexual feminino e todas as definicões que recebeu durante a história da humanidade. Ela escreve sobre os gregos, Freud e muito mais, tudo para explicar a história geralmente aceita na sociedade ocidental atual sobre o sexo e o corpo das mulheres. Interessantíssimo.

Lido em sueco.

O terceiro livro do pesquisador e médico especialista na fisiologia do cérebro Martin Ingvar e da jornalista científica Gunilla Eldh. Dessa vez eles escrevem sobre a ligação do cérebro com a dor física, nas costas, nos ombros, na cabeça e até a dor generalizada, fibromialgia. Não ameeei esse livro, mas achei certas coisas interessantes. Principalmente porque tive (e ainda tenho) problema com minhas costas depois do nascimento dos meus filhos. Fiquei intrigada com a experiência de uma pessoa retratada no livro e que se curou de enxaquecas debilitantes com a ajuda da ioga.

Lido em sueco.