“Ett annat liv”

May 31, 2015

Primeiro livro de PO Enquist que leio (título em traducão livre, mais ou menos “Uma outra vida”). Na verdade, não gosto de ler autobiografias porque todas que li até hoje me fizeram ficar meio chateada com os autores. Achei todos cheíssimos de si mesmo, com um ego infladíssimo. Foi assim com a minha querida Doris Lessing e com o insuportável Salman Rushdie, cuja autobiografia é tão medonha que nem terminei. Mas PO Enquist tem um quê doce, um ar bacana que sempre me interessou. Ganhei esse livro de graca quando a biblioteca da minha cidade estava fazendo uma limpeza em seus arquivos. Gostei muito! PO escreve sobre sua infância, sua mãe (o pai morreu quando ele era bebê), de seu alcoolismo, dos filhos, dos casamentos e de seu trabalho. Tudo interessantíssimo. Adorei! Vou ler mais dele.

“Kungens rosor”

May 5, 2015

Que decepcão! O terceiro livro de Moa Martinsson sobre Mia, a menina da classe trabalhadora sueca do início do século, é o pior dos três. Pra comecar, não é Mia a narradora, mas a escritora. Mia está mais velha, trabalha muito num restaurante, a vida é dura. Ela se mete com agitadores políticos e sociais, mas a voz da menina se perde. Não gostei, mas não é um dos piores livros que já li. Passável porque gosto muito da escritora sueca Moa Martinsson e porque compreendo o por quê dela ter incluído tanta política nesse último livro. Pelo que sei – e sei muito pouco – Moa Martinsson estava envolvida no planejamento social sueco desse tempo (anos 30-40). Interessante na trilogia – e não tão presente nesse terceiro livro – é a descricão da relacão entre mãe e filha. Uma pena.

Lido em sueco.