“Mor gifter sig”

March 19, 2015

O primeiro da autora sueca Moa Martinsson que li. O título pode ser traduzido para o português como “Mãe se casa”. A protagonista, Mia Stenman, uma menina de mais ou menos 7 anos (não lembro direito), narra em primeira pessoa suas aventuras com a mãe, Hedvig, numa Suécia onde fome e pobreza é regra. Mia passa fome, é deixada sozinha pela mãe porque ela precisa trabalhar. Quando a mãe se casa (Mia é filha concebida fora do casamento), as coisas, que poderiam melhorar, pioram. O padrastro bebe muito álcool e não consegue manter um trabalho. A pequena família se muda muito. A mãe fica grávida e os bebês nunca sobrevivem. Mas o mais fascinante é que tudo isso é contado através da perspectiva de uma menina de 6, 7 anos. A linguagem é fascinante, sueca da gema, simples, direta. Gostei de saber também sobre a autora, Moa Martinsson, nascida no final do século dezenove e que já era feminista desde então. Esse livro foi publicado na Suécia em 1936. Adorei!

Lido em sueco.

Advertisements

“Gökens rop”

March 1, 2015

Comprei esse porque li que o autor, Robert Galbraith, era o pseudônimo da J.K. Rowling, a escritora dos meus amados livros do Harry Potter. Li as resenhas e achei que poderia me agradar, mas como estava errada! Achei a história pobrinha, a intriga chatinha e os personagens pouco interessantes. Nunca tinha lido nada da J.K. Rowling depois do Harry Potter (pelo menos não me lembro se o fiz…) mas fiquei meio triste porque realmente não gostei. O livro é sobre o detetive particular Cormoran Strike e sua assistente Robin. Nesse livro eles tentam descobrir quem matou uma modelo famosa. Achei chato pra caramba, mas dou um coracão inteiro porque li até o final e porque é a J.K. Rowling. We have a history together.

Lido em sueco.