Tenho que confessar uma heresia. Li um clássico da literatura mundial, aclamado unanimamente por todos os cantos do globo, e não gostei. Pois é, li esse que é o primeiro volume da série “Em busca do tempo perdido”, de Marcel Proust e… não gostei. Ai, ai, ai. Não gostei não. A maioria do tempo me vi voando no pensamento, enquanto lia frases intermináveis, pensando em outras coisas, sem prestar atenção no que o menino/rapaz contava sobre a angústia que sentia quando a mãe não lhe dava um beijo de boa noite, quando comia os biscoitos madeleine com chá ou quando descrevia as aventuras do pobre Swann e a paixão dele por Odette. Oh, céus, peco quando digo a verdade, eu sei, mas não posso negar que não gostei. Dou dois corações porque tenho vergonha de dar uma nota ainda pior.

Lido em sueco.