"A Traitor to Memory"

June 20, 2003

Elizabeth George, de quem já tinha ouvido falar, não me fisgou. Li esse aqui até o final, fiquei intrigada a tal, mas, sei lá, não gostei muito não. O enredo envolve um mimadíssimo violinista, que perde a memória e a habilidade de tocar. Thomas Lynley e Barbara Havers investigam o caso e descobrem que o esquecimento do músico virtuoso pode ter a ver com um crime acontecido há 20 anos. So so.

Lido em inglês.

"Prime Time"

June 10, 2003

Já contei que a Liza Marklund era jornalista de um dos canais de TV suecos antes de começar a escrever? Pois é, vai ver que é por isso que ela tem essa mania de ilustrar as capas de seus livros. Acho isso tão cafona! Bom, esse livro aqui fala do que as pessoas fazem em busca da fama. Como sempre, há uma morte misteriosa e a Annika Bengtzon, que nem um terrier, querendo saber a verdade. Na estranha timeline da Liza Marklund, esse livro se localiza entre “Paradiset” e “Sprängaren”. So so.

Lido em sueco.

Tinha lido um pequeno romance, cujo nome slips my memory, da escritora Aino Trosell, e resolvi apostar nesse aqui. O título é “Se o coração ainda bate”. Historinha sobre os chamados “suecos da gema”, aqueles seres meio paralizados pelo tempo, pelo frio e pelos seus próprios pre-conceitos sobre tudo e todos. Onde o silêncio vale mais do que ouro, onde o coração já não bate mais de jeito nenhum. O livro é bom, mas a história cansa a minha beleza.

Lido em sueco.