Mais um de Susanna Alakoski que leio. Adorei. O título é mais ou menos “Outubro na Suécia pobre: diário”. Nesse livro Alakoski escreve em forma de diário durante o mês de outubro 2011 sobre a situação da pobreza na Suécia – que existe, mesmo que não seja o mesmo tipo de pobreza com a qual estamos acostumados a ver e ouvir falar no Brasil. Aqui a pobreza é, às vezes, invisível. São crianças sem sapatos novos de inverno, que não viajam, que não podem fazer esportes e nem participar das atividades da turma de colégio. São crianças com pais viciados em álcool ou drogas, são crianças que fogem de casa, dormem e comem na casa de amigos. Susanna Alakoski descreve ainda pedaços de sua própria infância, um espelho de uma pobreza nascida do vício dos pais. Pungente e impressionante.

Lido em sueco.

Advertisements

Interessante o livro de Maria Sveland (e outras) sobre a alegria da separação e do divórcio. Sim, você leu certo: várias personalidades culturais suecas, somente mulheres, escreveram sobre como melhoraram suas vidas quando se separaram dos maridos/parceiros. Gostei porque o livro não é raivoso contra os homens, mas mostra que a felicidade é possível na solidão, mesmo que, no início, seja o inferno na terra, ainda mais pra quem tem filhos. Adorei o texto da feminista sueca Mian Lodalen, adorei o texto da política Gudrun Schyman e o da escritora Åsa Larsson, adorei muitos textos. Adorei!

Lido em sueco.