Gostei do livro escrito por Sue Townsend. Ela conta, em forma de diário, um ano na vida do menino Adrian Mole. Vale dizer que os livros da série são best-sellers na Grã-Bretanha. Esse, o primeiro da série, é ao mesmo tempo engraçado e um pouco triste, talvez um pouco infanto-juvenil pro meu gosto, mas ainda assim, ok. Gosto desses livros escritos em forma de diário, talvez seria uma boa idéia começar a escrever um? Bom, o livro é legal o suficiente para que eu me sinta obrigada a ler todos os outros. Esse foi escrito, se não me engano, nos anos 90.

Lido em inglês.

Advertisements

Livro infantil de Graciliano Ramos. Li em vinte minutos. Sinto uma saudade imensa do português, ainda mais do português falado com sotaque. Na escrita isso pode ser visto quando o autor utiliza palavras como “mangando”, “taludo”, “arenga besta” e o melhor: “Bolam comigo porque eu sou miúdo”. Há coisa melhor? Presente da Maria Lídia. 🙂

Lido em português.

Não sei muito bem o que dizer desse último livro da série Harry Potter escrito por J.K. Rowling. Isso porque o achei menos interessante do que o sexto (e o quinto, e o quarto, e o terceiro, e o primeiro) e, de fato, melhor apenas do que o segundo. Talvez porque esteja com pena de ter acabado (sou daquelas que gosta de Harry Potter), ou talvez porque o final é rosado demais pro meu gosto. Se bem que, sejamos honestos, trata-se de um livro infanto-juvenil. Não poderia esperar nada mais trágico do que o que J.K. Rowling escreveu. Não foi maravilhoso, mas foi legal. Vou sentir falta das aventuras de Harry, Hermione e, principalmente, Ron, meu preferidíssimo. 🙂

Lido em inglês.

J.K. Rowling se superou dessa vez. A-D-O-R-E-I esse sexto livro, onde Harry, Ron e Hermione já têm 16 para 17 anos. Entre outras coisas, vemos muito mais Dumbledore nesse aqui. Não vou contar nada que é pra não estragar a experiência de quem ainda não leu, mas achei realmente esse aqui um dos melhores livros da série. Terminei de ler ontem à tarde e fiquei imaginando como vai ser legal ler o livro seguinte. O único problema é que será o último… :c(

Lido em inglês.

Mark Haddon escreveu esse livro, que é um dos melhores que li nos últimos tempos. Acompanhamos Christopher Boone, de 15 anos e Asperges (uma forma de autismo). Ele detesta ser tocado e precisa se lembrar como são faces felizes e tristes. Quando o mundo fica muito confuso, ele pensa em problemas matemáticos, para ficar calmo. Ele ama padrões, ritmo e fala sempre a verdade. O livro é delicadíssimo.

Seguimos Christopher em suas aventuras e nos malabarismos que precisa fazer para realizar seu projeto (não conto o que é pra não estragar a experiência de quem quiser ler o livro depois). Christopher entende o mundo de forma muito diferente e sua imaginação é transcendental. O autor, Mark Haddon, que escreve livros para crianças e adolescentes, ganhou uma série de prêmios por essa obra. No meio da leitura me vi contemplando várias coisas lá escritas como verdadeiros pensamentos filosóficos. Recomendo muitíssimo. Presente da Marcinha.

Lido em inglês.

Sou fã de J.K Rowling. Não vou escrever jamais nada contra ela porque os livros do Harry Potter já me renderam tantos dias felizes que seria um absurdo. Tenho mais é que ser grata. Pra ser sincera, nem me lembro mais o conteúdo desse quinto livro, mas, garanto: é divertimento certo. Agora estou lendo o sexto livro, sobre o qual escrevei em breve. Acho que é um dos melhores até agora. Recomendo muitíssimo sempre, todos.

Lido em inglês.

"Bröderna Lejonhjärta"

October 11, 2002

O livro de Astrid Lindgren é surpreendente. Acompanhamos Skorpan (apelido do protagonista) e seu irmão mais velho Jonatan em sua busca por Nangiala, a terra das sagas, onde há aventura – e para onde todo mundo vai quando morre. Em meio à fantasia dourada e a uma realidade muito dura, escolhe Skorpan acompanhar seu irmão à Nangiala… Confesso que esse livro me traumatizou. Ainda hoje tenho dificuldade de ler Astrid Lindgren. Pra ser sincera, não pretendo fazê-lo tão cedo.

Lido em sueco.