A-D-O-R-E-I esse livro-em-quadrinhos da escritora sueca Åsa Grennvall. A-D-O-R-E-I. É um livro sobre almas famintas por intimidade, carinho, atencão. Conta a história de uma menina-mulher cujos pais não estavam emocionalmente disponíveis. Ela cresceu numa família com terror à emocões, sem possibilidade de aguentar quando a filha adolescente não está feliz. Os desenhos são fenomenais e fortes – em preto e branco. A história tem um ritmo alucinante. Li o livro em uma hora. Depois tive de lê-lo novamente. Porque é tão bom. Porque é muito intenso. Fenomenal. Todos os seres humanos que vivem em família ou com pessoas amadas deveriam ler esse livro. Principalmente pais de criancas pequenas (e grandes também). Se eu pudesse dava seis coracões.

Lido em sueco.

Comprei esse livro do escritor queniano Ngugi wa Thiong’o no Rio, durante as férias desse ano. Fiquei empolgada por ter achado um livro em português de um autor africano, porque ainda estou meio que in love com a nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, cujos livros “En halv gul sol”, “Lila hibiskus” e “Americanah”, já li e que meio que me introduziu à literatura africana. Esse é um livro de memórias da infância do autor, sobre a mãe, as escolas que frequentou, e as dificuldades da vida de um rapaz no Quênia ainda sobre o poder imperialista do Reino Unido. É aquela coisa com autobiografias: o ego do autor está sempre no caminho. Gostei de algumas histórias, cuja origem é a fascinante tradicão oral africana. Mas, achei partes do livro fracas.
Lido em português.

Segundo da trilogia de Kristina Sandberg, cujo título em traducão livre é “Tomar conta dos seus [familiares]”. O primeiro foi “Att föda ett barn”. Nesse livro, na segunda metade da década de 40 e 50, o marido da protagonista Maj, Tomas, se mantém sóbrio (mais ou menos), as criancas crescem e Maj fica doente. Não fatalmente doente, mas ainda assim. Minha interpretacão: Maj chega a um ponto em que diz: a vida é só isso? Acabou? O corpo dela dá sinais de que a vida poderia ser diferente, de que ela gostaria de ter feito outras escolhas. Boa continuacão.