“Lilla smycket”

February 5, 2015

Mais um do autor francês Patrick Modiano. Toda vez que leio algum livro de Modiano, livros curtos e com uma linguagem direta e sem excessos, é como se ficasse em silêncio internamente. É como se precisasse ficar em silêncio pra poder escutar a voz desse escritor, que susurra as historias mais incríveis no meu ouvido. Quer dizer, se eu conseguir ficar tranquila o suficiente para ouvir o que ele tem a dizer. Esse livro é sobre essa moca, antes chamada Lilla Smycket (Pequena jóia, mais ou menos), e que procura pela mãe pelas ruas de Paris. Ai, coitada. Tão bonito e tão triste. Um livro que deixa um eco de tristeza dentro da gente.

Lido em sueco.

“Brideshead Revisited”

February 1, 2015

Livro do britânico Evelyn Waugh. Já tinha visto o filme, o que me deixou triste, porque perdi a oportunidade de imaginar a história na minha cabeca durante a leitura. Mas gostei do estilo de Waugh. O livro é sobre classe e tem uma ambiguidade interessante no que diz respeito à (homo e bi)sexualidade masculina. Charles e Sebastian são amigos. Às vezes mais do que amigos, mas nada explícito. Tudo latente. O primeiro remediado, classe média, o segundo riquíssimo, alcólatra e destrutivo. O livro é um estudo sobre gente infeliz e com distúrbios psicológicos sérios. Li n’algum lugar que Evelyn Waugh era misógeno, o que pode-se constatar no livro. Enquanto os personagens masculinos são interessantes, os femininos são totalmente dispensáveis. Apesar de que a mãe de Sebastian ser uma excecão. (Mas mães estão acima de serem mulheres, elas são MÃES, é ou não é?).

Lido em inglês.