Mais um livro da escritora americana Roxane Gay. Dessa vez uma autobiografia, na qual ela conta sobre um trauma que sofreu na infância e como isso a influenciou a vida inteira na relacão com seu corpo. Roxane é gorda, gordíssima. Ela fala sobre feminismo, violência, trauma, luta, auto-estima, mulheres, homens. É, como sempre, ótimo! Um livro importante para todas as mulheres e homens que lidan com questões de auto-estima, mas também para todos os outros, que talvez não tenham esse tipo de problema, mas que precisam entender os mecanismos da violência social contra as criancas, principalmente meninas, que aprendem a odiar seu corpo desde pequenas. Recomendo muito!

Lido em inglês.

Advertisements

”Självbiografierna”

June 21, 2017

Li muitas vezes sobre o autor austríaco Thomas Bernhard (1931 – 1989) nos diversos suplementos literários e revistas nos quais sempre procuro novos livros pra ler. Li que era sério, desiludido e genial. Resolvi então comprar um volume com os cinco livros autobiográficos que Bernhard escreveu durante os anos 70 e 80. O volume é composto por cinco livros, ”Orsaken” (Causa), ”Källaren” (Porão), ”Andhämtningen” (Respiracão), ”Kylan” (Frio) e “Ett barn” (Uma crianca). A história é simples mas a narrativa é complexa; sem parágrafos, ele conta numa corrente contínua sobre sua vida, a família e a Áustria durante a segunda guerra mundial. Resumo assim: Intenso. Vertiginoso. Escola. Desajuste, sensacão de estar de fora. Avô materno. Mãe. Áustria. Nazismo, catolicismo, ”ir na direcão contrária”, doenca, infância, desespero, arte. Fantástico!

Lido em sueco.

“Bad feminist”

June 6, 2017

Adorei! Primeiro livro da escritora americana Roxane Gay. É um livro de ensaios sobre feminismo, sobre ela mesma, sobre a cultura popular (americana), filmes, música, raca, racismo e muito mais. Aprendi um monte de coisas quando li o livro. Queria que Roxane Gay pudesse explicar coisas para mim, sobre a vida, a sociedade, sobre o que nos leva a fazer certas coisas na vida. Imagine se desse pra dar um ligada pra ela e perguntar? Agora já encomendei o livro novinho dela, “Hunger”, uma autobiografia que fala do corpo dela. Interessantíssimo! Recomendo demais.

Lido em sueco.