Primeiro do José Saramago que leio. Espetacular. Volta e meia me pego pensando no livro, no enredo, no desespero das pessoas que, de repente, sem mais nem menos, ficam cegas. Gosto de como Saramago descreve a decadência da sociedade, das pessoas, do mundo em geral. Como tudo – ou quase tudo – depende da visão. Fiquei angustiada durante a leitura, sonhei com cegueira e com doencas contagiosas (no mundo, paralelamente, uma epidemia terrível do vírus Ébola arrasava – e ainda arrasa – parte da África ocidental). O livro permaneceu em mim. Espetacular.

Lido em português.

“Steglitsan”

October 7, 2014


Li tanto sobre essa Donna Tartt, tanto que ela escreve lentamente, que ela trabalha durante anos até lancar um livro novo. Matéria de revista de literatura, de jornal, de noticiário online. Aí eu fui, né, e comprei o livro. E li. Do comeco ao fim. E não gostei. Achei tudo sem pénem cabeca. O protagonista é um coitado, com uma vida maluca. A única coisa boa do livro é o personagem Boris, amigo do protagonista (cujo nome eu já esqueci). Esse Boris é bacana. Ele mereceria um livro só pra ele. Dou três estrelas só por causa do Boris.

Lido em sueco.