"Trace"

August 26, 2005

Mais um da série de livros de Patricia Cornwell sobre a médica toda-poderosa Kay Scarpetta. Descobri a Patricia Cornwell por um acaso: havia comprado um livro na Amazon e um exemplar de um dos livros dela veio junto. Não me lembro de ter encomendado ou sequer de ter pago o livro, que simplesmente apareceu lá em casa. Mas gostei muito do que li. Já li quase todos os livros dela, como “Postmortem”, “Point of Origin”, “All that remains”, “The Body Farm” etc. Nesse “Trace” acompanhamos duas histórias paralelas: uma com Scarpetta e o meu querido detetive Marino e outra com a Lucy, sobrinha de Kay. Uma coisa acho engraçada: parece que os escritores muito bem-sucedidos resolvem, depois de muitos livros com o mesmo personagem, criar outros personagens novos, para variar a intriga. Eu gosto muito da Kay Scarpetta, mas não sou muito fã da sobrinha. So so.

Lido em inglês.

Advertisements

Devorei esse do Zuenir Ventura, que ganhei de presente de aniversário do meu pai. O jornalista conta de suas experiências no Brasil dos anos 50 aos dias atuais, fazendo referência a apenas alguns pontos chaves da história, que ele, Zuenir, teve experiência de primeira-mão. Estão lá relatos sobre Glauber Rocha, a distenção da ditadura e a tanga do Gabeira, o suicídio do Pedro Nava, os problemas de Zuenir com seus gravadores e, por fim, capítulos interessantérrimos sobre João Moreira Salles e Marcinho VP e ainda Genésio, a testemunha do assassinato de Chico Mendes que acabou sendo “adotado” pela família Ventura. Muito legal!!!!!

Lido em português.

J.K. Rowling se superou dessa vez. A-D-O-R-E-I esse sexto livro, onde Harry, Ron e Hermione já têm 16 para 17 anos. Entre outras coisas, vemos muito mais Dumbledore nesse aqui. Não vou contar nada que é pra não estragar a experiência de quem ainda não leu, mas achei realmente esse aqui um dos melhores livros da série. Terminei de ler ontem à tarde e fiquei imaginando como vai ser legal ler o livro seguinte. O único problema é que será o último… :c(

Lido em inglês.

"Stupeur et Tremblements"

August 4, 2005

Me deliciei com as aventuras de Emélie Nothomb na empresa japonesa Yumimoto. Como um samurai diminuto, ela se ocupava em virar as páginas dos calendários de toda a empresa, contemplava o nada, servia café e chá, distribuia cartas, “ajudava” o departamento de contabilidade, fazia relatórios sobre o consumo de manteiga na Bélgica, admirava a beleza de sua chefe direta, Fubuki Mori, trocava papel higiênico nos banheiros da companhia e era continuamente humilhada por chefes e chefes dos chefes. O livro é um barato. O mais legal é que Nothomb consegue fazer um divertidíssimo tratado sobre a sociedade japonesa, especialmente as mulheres nipônicas. Recomendo! Presente da Tetê.

Lido em francês.

Fernando Morais escreve uma senhora biografia sobre um dos homens mais poderosos da história brasileira. Fascinante ler como um menino mirrado e gago, se transforma num monstro poderoso, dono do maior conglomerado de veículos de comunicação do Brasil. Ao mesmo tempo em que é fascinante, é triste ver a falta de ética de Assis Chateaubriand e seu mais do que descarado envolvimento com o poder em várias décadas. Fica evidente que Fernando Morais acha todos os “causos” envolvendo Chateaubriand interessantíssimos, porque ele conta todos. Lá pelo final do livro, eu já estava meio de saco cheio. Mas, é um documento competente e divertido, apesar de longo. Presente da Karenin.

Lido em português.